Uma das mais importantes manifestações religiosas e culturais do Estado do Pará, a Marujada de Bragança, acontece há mais de 200 anos e atualmente reúne mais de 100 mil pessoas pelas ruas do município, localizado na região Nordeste Paraense, homenageando o Glorioso São Benedito.

A manifestação começou com negros escravizados que pediram autorização aos senhores para realizar uma festa, após a comemoração do Natal, marcando o dia 26 de dezembro como o ápice da festividade, que hoje reúne diversos elementos marcantes, como indumentária e ritmos próprios, além das esmolações e a cavalhada. As ruas de Bragança são tomadas pelas marujas e marujos descalços e devidamente caracterizados, sob o comando da “Captoa”, a matriarca que conduz as celebrações.

O documentário mostra, por meio do relato do historiador e pesquisador Dário Benedito Rodrigues, que em 2020 coordenou a manifestação, um dos principais entusiasta da comemoração e que agora reúne elementos para o tombamento da Marujada de Bragança como Patrimônio Imaterial junto a organismos nacionais e internacionais.

O documentário é uma co-produção da Rede Nazaré de Televisão e da produtora Aldeia Amazônia, com direção e produção executiva do Jornalista e Publicitário Fabrício Coleny.

Pague-me um café